quinta-feira, 5 de agosto de 2010

E aquele foi o fim...

Ana estava dormindo tranquilamente quando de repente, acordou com o ruído de uma porta que se fechava pesadamente lá embaixo, no térreo.
Ela costumava ser muito curiosa, e como sempre a curiosidade a venceu, ela pegou o robe do lado da cabeceira da cama, se vestiu e desceu devagar pelos degraus, passo por passo tentando fazer o mínimo de silêncio possível.
Não havia ninguém na área vazia, a porta estava fechada, nem o vento conseguia ultrapassar a porta de ferro, Ana riu consigo mesma enquanto olhava a porta, foi quando o elevador se abriu, e ela virou-se para olhar, a expressão no rosto dela foi de surpresa, alegria, medo e tensão.
_Riley o que você faz aqui à uma hora dessas?_ ela perguntou ainda surpresa.
_Só uma visita querida Ana._ ele disse, seu tom de voz estava alterado, como se não fosse o Riley de sempre.
_Você me assustou sabia, e afinal você não deveria está aqui._ ela atirou com a voz amarga.
_As minhas visitas já foram melhores apreciadas, você sempre gostou delas._ ele falava, tentando recuperar alguns momentos do passado que estavam escondidas em algum lugar da memória de Ana.
_Como você conseguiu entrar?
_Só os moradores tem acesso a esses portões, e as suas visitas eram bem vindas quando você ainda era o Riley doce e generoso que eu conheci._ Ana agora era muito mais amarga do que ela costumava ser.
_Sempre tão curiosa Ana, um dia isso ainda vai te matar._Riley disse e a puxou pelo braço.
_Vá embora Riley, saia daqui, você não é bem vindo, não até que mude de caráter._Ana começou a gritar, ela gritava tão alto, como um instinto de preservação.
_Cale a boca Ana, vai acordar os vizinhos._Riley gritou bem perto de Ana, o calor da voz dele, era uma mistura de raiva e cerveja.
_Louco e bêbado, é isso o que você é nesse momento, saia daqui ou vou gritar ainda mais Riley Carter.
Ana gritou pela última vez, um grito que ia se tornando um sussurro, depois que Riley perdeu o controle e enfiou uma faca no peito dela, o sangue começava a tomar conta de todo o chão, Riley gritava desesperado, ele não queria fazer aquilo, machucar ela não era a intenção dele, o que ele sempre quis foi a sua Ana de volta.
Desorientado como estava, ao ver as pessoas chegando, e o prédio perdendo o silêncio, ele tirou cuidadosamente a faca do peito de Ana, e enfiou com toda a sua força no seu peito, as últimas palavras de Riley para Ana foram "Eu te amo, mais não podia te contar o porquê da minha mudança de caráter".
E aquele foi o fim do amor de Ana e Riley, uma história que se tornou perigosa com o tempo, provocando a morte dos dois, como um Romeu e Julieta, mais bem mais trágica do que nas histórias de Shakespeare.

11 comentários:

  1. aaaaaaaaaaaah :O
    jamais imaginei que isso fosse acontecer rs

    gostei bastante do texto :*

    ResponderExcluir
  2. As vezes as histórias não terminam como a gente espera.
    Que bom gostou.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, como ele teve coragem né :o
    Ficou muito bom :)

    ResponderExcluir
  4. Teve muita coragem mesmo, eu ultimante estou escrevendo histórias com pessoas corajosas.
    Que bom gostou

    ResponderExcluir
  5. ficou lindo!
    eu te linkei =)
    bjos*
    www.marcellagiroldo.com

    ResponderExcluir
  6. Linda.. selinho pra ti no blog..
    Beijos!!

    http://kadeniz.blogspot.com/2010/08/selinho-deslumbrante.html

    ResponderExcluir
  7. Amei já tow seguindoo, da uma passadinha lá no meeu

    ResponderExcluir