sábado, 10 de julho de 2010

A viagem dos sonhos


Depois do grande impacto, nós sabíamos que o navio não conseguiria ficar por muito tempo flutuando, que logo ele ia afundar, fomos para o topo do navio, onde estaríamos seguros por mais tempo.
Não sabíamos por quanto tempo ficaríamos vivos, então começamos a conversa que sempre terminava antes mesmo do inicio, talvez por pura timidez, ou por querer acreditar que nossa relação era somente amizade.
Falamos juntos, talvez uma fração de segundos de diferença, mais naquele momento não importava quem se declararia primeiro, nada importava, só o amor que sentíamos um pelo outro.
_ Eu te amo, Kate.
_ Eu sempre te amei Nick.
Trocamos palavras, abraços e carinhos, tudo entre batidas de dentes, o frio já começava a aumentar, estávamos quase afundando, faltava muito pouco.
Ele segurou a minha mão bem forte, e eu as apertei ainda mais contra as dele, tocamos os nossos lábios pela primeira vez, apesar de todo o frio os lábios dele estavam quentes, e passavam delicadamente entre os meus que estavam mornos, apesar da morte está mais próxima que a salvação, esse foi o melhor beijo da minha vida.
Comecei a chorar por ver como o destino era injusto e cruel, como você podia ter e não ter seu grande amor, como tudo era mais complicado do que deveria ser.
_Eu odeio te ver chorar, portanto, acabe com suas lagrimas e escute._ ele me disse, enquanto secava as minhas lágrimas.
_ Estou me sentindo como no Titanic.
_ Eu também, vamos morrer e nosso amor vai ficar nas lembranças dessas águas frias._ eu o interrompi para dizer o que estava na minha cabeça desde que afundamos.
_ Calma preste atenção, eu te prometo que vamos sobreviver, não será como no Titanic, nós dois voltaremos para esse mesmo lugar um dia e vamos nós lembrar que foi no meio de uma tragédia, entre a vida e a morte, que nós declaramos, e saber que o nosso amor era correspondido por ambas às partes, é que nós fez sobreviver._ ele disse tentando me acalmar, a cada palavra ele secava um pouco mais as minhas lágrimas, e eu ia ouvindo o delicado som da sua voz, que tinha o poder de me tranquilizar.
No fim ele tinha razão, sobrevivemos e cinco anos depois, mesmo sem tanta coragem voltamos para o mesmo lugar. Estamos sentados próximo de onde nós declaramos no antigo navio que afundou, esse era idêntico aquele de cinco anos atrás, mais ao contrário ele não estava afundando, a luz do luar refletia sobre nós, e nossa viagem está acabando como havíamos planejado.
A viagem dos sonhos.

7 comentários:

  1. oi td bein muito legal e interativo seu blog adorei, to seguindo. Tenho dois blogs e quero saber se você esta interessado (a) em parceria? entra la nos meus blogs responde e os segue também bjinhos:

    http://kah-catarina.blogspot.com

    http://loucuradeumaadolescente.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oie já fui lá no seu blog e já segui.

    ResponderExcluir
  3. Bonita história, boa sorte!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Muitas coisas imprevisíveis acontecem, quem diria que eles teriam coragem de voltar ao local do acidente? Coragem hein?

    ResponderExcluir
  5. Que bom gostou Tay.
    É muita coragem mesmo, eu particulamnete acho que não teria, só na história mesmo

    ResponderExcluir