sexta-feira, 9 de abril de 2010

Escondida em algum lugar...


Esse foi o último diálogo que tive com meus pais antes de ser jogada para fora da minha própria casa, e ser enviada para um colégio interno, onde seria o meu novo lar.
_ Jennifer isso são horas de chegar em casa?_ gritou a mãe dela como sempre.
_ Essa garota quer acabar com a gente, não ver que nós deixa preocupados quando ela sai desse jeito, sem avisar para onde vai, que horas vai chegar._ o pai dela disse, resmungando.
Não sei se posso chamar isso de diálogo, era a única coisa que meus pais não tinham em relação a mim, eles sabiam reclamar das minhas roupas, das minhas atitudes, mas nunca souberam como me dar carinho.
Essa viagem foi um jeito que eles arranjaram de se livrar de mim, meu pai sempre vivia falando que um colégio interno seria a melhor solução para curar as minhas crises de adolescente.
Ao contrário do que eles esperavam eu iria viajar sem reclamar, ficaria na escola que eles sempre sonharam para mim.
Peguei minhas malas coloquei no porta malas do carro e me sentei no banco de trás sem fazer nenhuma reclamação, dessa vez até o cinto de segurança eu coloquei, sem que eles precisassem ordenar.
Chegando na rodoviária entrei no ônibus sem me despedir, afinal não faria diferença alguma para eles.
Quando cheguei na escola todos me olharam diferente, com certeza meus pais já haviam me difamado na escola, mas isso não ficaria assim.
Depois que fui encaminhada para o meu quarto peguei papel e caneta, comecei a escrever naquele estante o que eu nunca tive coragem de falar.
Queridos pais,
Obrigado por terem adiantado para os meus futuros colegas que eu era uma garota que se vestia diferente, e que gostava de aprontar por ai, mas sabe de uma coisa, tudo o que faço é para chamar a atenção de vocês.
Porque só sou notada quando me visto diferente dos outros, vocês só se preocupam comigo quando eu sumo sem avisar para onde vou.
Tudo o que faço é para que vocês prestem mais atenção em mim, e se sitam preocupados pelo menos uma vez, coisa que nunca fizeram.
Escondida em algum lugar por trás das minhas roupas e atitudes, tem uma adolescente que sabe ser amiga, que tem seus medos, e que precisa muito da atenção e do carinho dos pais.
Espero que agora estejam felizes sem mim por perto, que eu estarei bem tentando mostrar aos meus colegas a verdadeira Jennifer.
Beijos de sua filha.

6 comentários:

  1. adooorei *-*
    eu sempre acho que quando alguém faz tanta questão de ser diferente é pra chamar atenção de alguém, achei muito real seu texto, merece ganhar (yn)

    beijos,
    obrigada pelas visitas e pelo carinho, volte sempre :*

    ResponderExcluir
  2. adorei! quanto ao fato de ser direfente, a maioria das pessoas realmente faz isso pra chamar a atençao. mas ser diferente ate um certo limite é saudavel, e crise todos nós temos!

    beijos ;*

    ResponderExcluir
  3. aiai, que bonito o post. adorei.
    :)

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pelos comentários queridas.
    bjsss

    ResponderExcluir
  5. hsuhashau' nossa até parece eu quando era mais nova, a diferença é que eu não fui pra um colégio interno,mais só não fui por que os meus pais foram trata de fazer outra criança ¬¬'

    ResponderExcluir
  6. que bom não foi para o colégio interno.
    Fiz essa história rapidinho para o projeto e consegui ganhar,estou muito feliz.

    ResponderExcluir