terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Somos todos iguais

"Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Caminhando e cantando
E seguindo a canção"
Para não dizer que não falei das flores_Geraldo Vandré

Maria era uma professora de 33 anos,que trabalhava a cinco anos no único colégio particular da sua cidade,seus alunos da alfabetização sempre foram uns amores,mas tudo mudou de repente com a chegada de dois alunos,um era bolsista,ele vivia com a mãe em um barraco na favela,mal tinha o que comer,e o outro pagava todos os meses,era filho de um dos maiores empresários do país,e sempre teve tudo que quis.
Eles eram da mesma turma,e foram colocados para sentar lado a lado.
Joãozinho o garoto pobre da favela,sorriu para Marquinho o menino rico,mas Marquinho virou o rosto e perguntou
_ Professora,meu pai disse que pessoas da favela são ladrões,o que um ladrão faz na minha escola?
_Marquinho,isso que você está dizendo é um absurdo,e seu pai não deveria te dizer essas coisas.
_Professora,eu não sou ladrão._Joãozinho disse triste com as palavras do seu coleguinha.
_Você é pobre e mora na favela,tem que roubar para comer,saia de perto de mim,agora._Marquinho disse com uma voz dura.
_Marquinho peça desculpa ao Joãozinho,e vamos agora para a diretoria._a professora gritou,diante daquela situação,uma criança tão pequena falando daquele jeito.
Maria pediu para uma funcionária ficar com os alunos e foi para a diretoria com Marquinho.
Chegando na diretoria,ela explicou o ocorrido a diretora,a senhora Joana.
_Eu proponho que Marquinho e Joãozinho façam um trabalho em dupla,onde cada um vai mostrar o lado bom de cada um,e os outros alunos também podem participar._A diretora disse olhando para Marquinho e Maria.
_Excelente idéia Joana,vou começar a organizar tudo._Maria disse contente com a idéia da diretora.
_Podemos fazer uma apresentação para os pais,e os alunos._Maria propôs a diretora,que aceitou imediatamente.
Uma semana se passou e estava tudo pronto,os pais estavam sentadas nas cadeiras espalhadas em frente ao palco principal da escola,Clara e Paulo começou a apresentação.
_Meu nome é Clara,já morei em Paris e hoje estou aqui para mostrar o melhor de mim.
_Meu nome é Paulo,já morei no campo e hoje estou aqui para mostrar o que sei fazer.
_Eu sei desfilar e cantar,tenho só seis anos,e estou aprendendo a ser humano._continuou Clara.
_E eu sei plantar e montar cavalo,também tenho só seis anos,e estou aprendendo a ser um humano melhor._acrescentou Paulo a sua apresentação.
Todos se apresentaram,até que chegou a vez de Marquinho e Joãozinho,a professora chamou os dois e passou o microfone para eles.
_Meu nome é Marquinho,sempre morei aqui na cidade,e vim falar um pouco de mim.
_Meu nome é Joãozinho,nasci no campo,mas foi aqui que eu cresci,e vim contar minha história.
_Meu pai é dono de uma grande empresa,que cuida de grandes construções,guando crescer quero ser como ele._Marquinho disse todo orgulhoso.
_Minha mãe trabalha em um salão de beleza,eu jogo futebol muito bem,quando crescer quero ser zagueiro,e meu professor disse que eu levo jeito._Joãozinho disse quase chorando de emoção.
Quando eles terminaram a apresentação,a professora deu o sinal e todos disseram juntos.
_Somos todos cidadãos,seja na escola,morando no campo ou na cidade,somos todos iguais fazendo o que sabemos de melhor.
Todos os pais e professores aplaudiram felizes,e daquele dia em diante o pai de Marquinho passou a sempre dizer ao filho que podíamos morar em lugares diferentes,ter menos dinheiro,ou ter outra profissão,mas que todos eram iguais.
Na escola Joãozinho e Marquinho se davam super bem,se tornaram grandes amigos,iam a todos os lugares juntos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário