terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Meu eu interior


"Conto feito para o blorkutando,
eu quis enfatizar que o dinheiro nem
sempre traz felicidade,e que se você
não se sente feliz,procure dentro de
você a verdadeira felicidade" 

A vida era perfeita para mim,eu tinha muitos carros,uma casa grande e confortável,além de ser bem sucedida no que eu fazia.
Eu achava que tudo estava perfeito para mim,que nada precisaria mudar,que eu já tinha tudo que eu precisava,mas em um certo dia,que eu prefiro não citar,sofri um grave acidente de carro,e fiquei em coma.
Para os médicos eu não iria mas sair daquele estado,mas para mim sim,desde que eu me encontrei com o que tinha no meu interior bem lá no fundo.
Depois que percebi que o dia em que os aparelhos que me mantinha viva ,iriam ser desligados,eu tive que escolher os mas rápido possível,se queria voltar para o meu corpo e continua sendo triste,sozinha e grosseira com as pessoas,mesmo tendo todo aquele dinheiro e conforto,ou se eu queria voltar a ser um bebê e começar tudo de novo,tentar ser uma pessoa que dá mas valor as pessoas,do que ao dinheiro,e assim tentar ser mas feliz.
Pensei várias vezes as minhas duas opções,uma eu teria tudo,e ao mesmo tempo não.
A outra eu seria um bebezinho pobre,que não tinha dinheiro,mas que ia crescer feliz.
Segundos antes de meus aparelhos ser desligados,eu pedi com toda a minha força,me deixe ser um bebê de novo,mas me faça crescer e continuar a ser uma criança dentro de mim,onde tudo que importa é a felicidade.
E assim aconteceu.
Alguns anos depois,eu já era uma criança de oito anos de idade,e ainda me lembrava do meu dever aqui,fazer com que eu fosse mas educada com as pessoas que me amavam,fazendo elas e eu felizes.
Mas uns anos se passaram,e eu já era uma adolescente de quinze anos,conheci o amor da minha vida,e dessa vez escolhi ficar com ele,e deixei todo o dinheiro que eu podia ganhar como modelo para trás,ninguém entendia o por que eu desistir do meu sonho e de todo o dinheiro,mas eu não havia desistido do meu sonho e sim do dinheiro,por que ele podia ser muito bom em algumas horas,mas acaba mudando a cabeça das pessoas em alguns meses,eu seria a modelo da família,daria o exemplo de como ser feliz,com o que a gente tinha.
Quando se passou mas alguns anos e eu já era uma mulher de trinta anos,eu tinha conseguido cumprir a minha missão aqui,e hoje eu e todos que estão a minha volta estão felizes. 
Então eu olhei para o céu e pedir chorando,não de tristeza,mas de emoção,obrigado por ter me dado mas uma chance,e fazer com que o meu eu interior,a parte boa de mim despertasse.




Nenhum comentário:

Postar um comentário